Juíza determinou medidas cautelares, como recolhimento noturno e comparecimento quinzenal a juízo, e rejeitou prisão preventiva pois motorista não tem antecedentes criminais, não responde a processo e tem endereço fixo.

Homem de 31 anos morreu em acidente na BR-285, em Vacaria Miro Santos/Rádio Esmeralda O motorista preso após o acidente que matou um homem de 31 anos em Vacaria, na serra gaúcha, ganhou liberdade provisória neste domingo (5), por decisão da juíza Lilian Raquel Bozza.

Ela rejeitou a prisão preventiva de Vitor Ziegler porque ele não tem antecedentes criminais, não é reincidente em crime doloso nem responde a outros processos criminais.

Além disso, tem endereço fixo.

Vitor é presidente do Sindilojas da cidade, e foi preso em flagrante, por homicídio culposo.

'Muito triste perder um filho assim', diz pai de vítima de acidente em Vacaria "Saliento, ainda, que, ao menos por ora, não há elementos a indicar a prática do crime na modalidade dolosa, ainda que por dolo eventual", afirma a juíza.

Foram determinadas as seguintes medidas cautelares: proibição de afastamento do distrito da culpa sem prévia autorização judicial, comparecendo quinzenalmente em Juízo para informar suas atividades, até decisão final do processo; comparecer a todos os atos do processo; proibição de acesso ou frequência a bares ou casas noturnas de qualquer tipo; recolhimento domiciliar no período noturno, durante a semana das 19h às 6h, e, nos finais de semana e feriados, das 18h às 6h. O acidente foi na noite de sábado (4).

Micael Melo Batalha, de 31 anos, que trabalhava como motorista, faleceu após a colisão.

Micael, de 31 anos, morreu em acidente na noite de sábado (4), em Vacaria Arquivo pessoal Segundo a PRF, um Cruze, dirigido por Vitor, fez uma longa frenagem, derrapou e invadiu a pista contrária, colidindo frontalmente com o Fox, dirigido por Micael.

Ele chegou a ser socorrido, mas faleceu no hospital. Conforme a Polícia Rodoviária Federal, Vitor se recusou a fazer o teste, mas policiais constataram sinais de consumo de bebida alcoólica.

A RBS TV entrou em contato com a advogada de Vitor, e aguarda retorno. A Polícia Civil investiga ainda se Vitor participava de uma festa com empresários e lojistas antes do acidente.

Segundo o delegado Carlos Alberto Defaveri, o passageiro do Cruze e dono do carro, Rafael Suzin, 41 anos, também responderá por ceder a direção do carro a Vitor e pode ser enquadrado em coautoria pelo homicídio de trânsito, caso o entendimento do delegado que concluir o inquérito seja por dolo eventual. O pai de Rafael, José Aquiles Susin, que foi prefeito de Vacaria entre 2005 e 2008 pelo PMDB, preferiu não se manifestar sobre o caso, alegando que tudo que falou até agora "foi distorcido pelas pessoas".

Mas, negou que o filho e Vitor estivessem numa festa antes do acidente. Micael foi velado neste domingo e o sepultamento está marcado para as 10h de segunda-feira (6), no Cemitério São Francisco.